Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

​Em 2022, os cabo-verdianos voltaram a poder ter um ano ativo a nível económico, social e cultural e recuperaram a sua total mobilidade física, que estava condicionada desde 2020 por imposição das restrições da pandemia. A dinâmica da sociedade cabo-verdiana pode ser constatada pelos processamentos de operações no SICIL (Sistema Integrado de Compensação Interbancária e Liquidação), com essas operações de retalho a registarem um aumento de 21,2%, em quantidade. Foram processadas mais 6.561.895 operações, quando comparado com o ano anterior. 


Na realização das operações, os cabo-verdianos continuaram a mostrar preferência para o instrumento cartão, que foi utilizado em 44.875.011 operações (86,7%), na rede vinti4, na sua maioria nos TPA (terminais de pagamento automático), que registaram 27.958.392 operações (62%). Por outro lado, os cabo-verdianos também se revelaram ainda mais adeptos dos canais digitais. O canal internet banking registou no final do ano, 200.693 contas particulares e 29.648 contas empresas, ou seja, aumentos de 19,1% e 32,5%, respetivamente, nos segmentos particular e empresas. Neste canal foram efetuadas 3.675.969 operações, no valor de 99.717,5 milhões de escudos. Houve um aumento de 20,9% em quantidade e de 50,9% em valor, quando comparado com as operações realizadas através do internet banking no ano anterior. De se destacar também a boa dinâmica dos pagamentos no comércio eletrónico. Em comparação com o ano anterior, os sites nacionais, com 182.528 operações, registaram um aumento de 121,9% da quantidade de operações realizadas. Nos sites internacionais o aumento foi de 17,7%, num total de 305.045 operações realizadas.


O Relatório do Sistema de Pagamentos Cabo-Verdiano apresenta a análise detalhada da informação estatística agregada sobre as operações, as infraestruturas e os instrumentos de pagamento, bem como os factos e acontecimentos mais relevantes do ano, no âmbito da função de superintendência, de controlo e regulamentação e de promoção da contínua modernização do Sistema, que são competências atribuídas por lei ao Banco de Cabo Verde.


Documentos