Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

Na sequência da publicação de uma lista de devedores do Novo Banco S.A., tornada pública pelo jornal A NAÇÃO, na sua edição de n.º 48, de 16 a 22 de março de 2017, vem o Banco de Cabo Verde esclarecer a opinião pública o seguinte:

1.O Banco de Cabo Verde não disponibilizou nenhuma informação coberta pelo dever de sigilo, a qualquer órgão de comunicação social, designadamente, respeitante aos clientes do banco em questão, pelo que se demarca totalmente dessa forma de expor informações de carácter íntimo dos clientes bancários na praça pública, com julgamentos de vária ordem.

 

2.Não obstante o próprio jornal citar a sua fonte, a intenção do Banco de Cabo Verde, com o presente comunicado, é a de afastar qualquer ligação da entidade de regulação e supervisão do sistema financeiro a esse imbróglio e apelar à serenidade de todos os intervenientes no sistema financeiro.

 

3.Ao longo da sua existência o Banco de Cabo Verde sempre obteve e continuará a obter, pela sua natureza, um conjunto de informações cobertas pelo dever de sigilo bancário, mas não se conhece um único caso em que o Banco de Cabo Verde tenha sido acusado de ter indevidamente divulgado tais informações.

 

4.O Banco de Cabo Verde continuará a cumprir a sua missão, de forma serena e responsável, garantindo que tudo fará para que o sistema financeiro cabo-verdiano continue credível, assegurando aos clientes bancários e a toda a sociedade cabo-verdiana que não há motivos para alarmes, visto tratar-se de uma situação isolada, que deve merecer das autoridades competentes toda a atenção.

 

5.O Banco de Cabo Verde repudia toda e qualquer forma de violação da intimidade privada dos clientes bancários e insta as autoridades competentes a investigarem devidamente o caso.

 

Banco de Cabo Verde, 21 de março de 2017


 


Documentos