Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

 Descreve a dinâmica recente do sector monetário e financeiro.
Relatório de Política Monetária Abril de 2022

04/08/2022

​​​​A atividade económica global inverteu a recessão observada em 2020 em virtude dos efeitos da crise pandémica, registando uma recuperação em 2021, e consequentemente a economia nacional beneficiou-se de um enquadramento externo mais favorável.

Relatório de Política Monetária Outubro de 2021

03/11/2021

​​Os desenvolvimentos macrofinanceiros do país e dos seus parceiros continuaram, nos últimos seis meses, a ser marcados pela crise sanitária global. 


De acordo com as estatísticas disponíveis, denotam-se alguns sinais de recuperação da atividade económica nacional, indelevelmente associados à reabertura gradual da atividade económica, com o avanço da taxa de vacinação no país. Com efeito, o produto interno bruto (PIB) em volume no país cresceu 5,6 por cento em termos homólogos no primeiro semestre, não se descurando do efeito de base, considerando os estados de emergência decretados durante o primeiro semestre do ano transato.

Relatório de Política Monetária Abril de 2021

19/04/2021

​​De acordo com as estatísticas disponíveis, Cabo Verde terá tido, no ano passado, o seu pior desempenho económico enquanto país soberano. O produto interno bruto em volume decresceu 14,8 por cento, o défice da balança corrente aumentou de 0,4 para 16,5 por cento do PIB, o stock de reservas internacionais líquidas do país reduziu cerca de 80 milhões de euros e o défice e a dívida pública inverteram a tendência de queda e fixaram-se, respetivamente, em nove e 156 por cento do PIB em finais de 2020.

 

As perspetivas atualizadas para 2021 apontam para um crescimento da economia em torno de seis por cento, garantidos o controle da pandemia no Ocidente, em particular nas economias parceiras de Cabo Verde, bem como no país. Num cenário adverso o crescimento económico rondará os três por cento.

 

Considerando as atuais perspetivas macroeconómicas e na ausência de pressões incompatíveis com os objetivos de garantir a estabilidade de preços e a credibilidade do regime cambial de peg unilateral ao Euro, a política monetária continuará a acomodar a recuperação da economia nacional. 

​​

Relatórios de Política Monetária 2020

04/11/2020

​A crise global de saúde pública marcou os desenvolvimentos macrofinanceiros do país e dos seus parceiros nos últimos meses. 

Os esforços, sincronizados, de contenção da propagação do novo coronavírus, de fortalecimento dos serviços de saúde e de proteção de vidas humanas resultaram na contração do produto interno bruto (PIB) em volume do país na ordem dos 13 por cento em termos homólogos no primeiro semestre. As economias da Área do Euro, dos EUA e do Reino Unido-principais parceiros económicos do país- contraíram 9, 4 e 11 por cento, respetivamente, no primeiro semestre de 2020 face ao primeiro semestre de 2019. 



Relatórios de Política Monetária 2019

17/10/2019

​​​​​​​​​O contexto externo continuou a favorecer a economia nacional na primeira metade do ano, não obstante a intensificação das tensões comerciais globais, bem como o adiamento e a amplificação das incertezas que envolvem o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Relatórios de Política Monetária 2018

15/10/2018

​​​​A performance globalmente benigna do enquadramento externo favoreceu a assinalável dinâmica da economia nacional, que registou no primeiro semestre o crescimento homólogo de 4,7 por cento.

Relatórios de Política Monetária 2017

03/10/2017

​​As estatísticas e indicadores de tendência da atividade apontam para a manutenção de um quadro de retoma da dinâmica económica no primeiro semestre, ancorada num contexto externo mais favorável ao crescimento da procura turística e do investimento direto no país e numa conjuntura de contínua melhoria do clima económico e aumento da oferta de crédito.

Relatórios de Política Monetária 2016

02/11/2016

​​​A política monetária de Cabo Verde objetiva a estabilidade de preços, enquanto condição necessária para a garantia da estabilidade macrofinanceira do país. Em termos estratégicos, entretanto, visa a defesa da credibilidade do regime cambial, através da manutenção de um nível de reservas internacionais líquidas suficiente para garantir, sobretudo, a cobertura, a curto prazo, das responsabilidades contratuais e contingenciais do país e fazer face a uma eventual escassez temporária de capital.
 

Relatórios de Política Monetária 2015

07/12/2015

​Num contexto de moderada recuperação da atividade dos principais parceiros económicos do país e no pressuposto de manutenção das atuais orientações da política macroeconómica, o cenário central das atuais projeções aponta para um crescimento económico entre um e dois por cento em 2015 e um fortalecimento da dinâmica da atividade económica em 2016.