Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

​​De acordo com as estatísticas disponíveis, Cabo Verde terá tido, no ano passado, o seu pior desempenho económico enquanto país soberano. O produto interno bruto em volume decresceu 14,8 por cento, o défice da balança corrente aumentou de 0,4 para 16,5 por cento do PIB, o stock de reservas internacionais líquidas do país reduziu cerca de 80 milhões de euros e o défice e a dívida pública inverteram a tendência de queda e fixaram-se, respetivamente, em nove e 156 por cento do PIB em finais de 2020.

 

As perspetivas atualizadas para 2021 apontam para um crescimento da economia em torno de seis por cento, garantidos o controle da pandemia no Ocidente, em particular nas economias parceiras de Cabo Verde, bem como no país. Num cenário adverso o crescimento económico rondará os três por cento.

 

Considerando as atuais perspetivas macroeconómicas e na ausência de pressões incompatíveis com os objetivos de garantir a estabilidade de preços e a credibilidade do regime cambial de peg unilateral ao Euro, a política monetária continuará a acomodar a recuperação da economia nacional. 

​​


Documentos