Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

​​ ​O meio envolvente das organizações (contextos económico, tecnológico, político, legal, sociocultural, etc.) caracteriza-se, atualmente, por constantes e profundas mutações com impactos na vida, nos negócios e nas estratégias das mesmas, acabando por influenciar as suas estruturas. Dependendo do sector e da magnitude com que essas mutações ocorram pode, ou não, justificar ajustamentos ao nível da estrutura orgânica de modo a facilitar e impulsionar a implementação de novas estratégias.

No que respeita ao Banco de Cabo Verde, o último ajustamento da estrutura orgânica ocorreu no ano 2015. Após esse ajustamento, o Conselho de Administração aprovou um novo Plano Estratégico que cobre o quadriénio 2016-2019. Tal visa dar resposta a vários desafios e oportunidades que enformam a envolvente externa do Banco, a par do seu ambiente interno. Para o efeito, no referido Plano figura um conjunto de Objetivos Estratégicos e as formas e meios para os alcançar. Merece realçar que, tão importante quanto a definição de estratégias, é a criação de condições organizacionais para que as mesmas possam ser implementadas com sucesso. É aqui que a estrutura orgânica é chamada a desempenhar um papel importante, na medida em que se trata de um instrumento fundamental para o desenvolvimento e implementação dos planos e estratégias definidos.

Com efeito, é no quadro do contexto descrito e no sentido de dotar o Banco de Cabo Verde de uma estrutura orgânica eficaz, eficiente e alinhada com os novos desafios e oportunidades, bem como com as boas práticas internacionais, que o Conselho de Administração decidiu introduzir um conjunto de importantes alterações nalguns domínios do modelo organizacional do Banco.


O Regulamento Orgânico ora aprovado sistematiza um conjunto de informações sobre a estrutura orgânica do Banco de Cabo Verde, nomeadamente seus princípios, os conceitos básicos, a par de normas que norteiam a sua alteração.


O processo de conceção da presente estrutura orgânica teve em consideração diversos vetores estruturantes, nomeadamente, a missão, a visão, os valores institucionais, os objetivos e as estratégias preconizados no plano estratégico. A par desses vetores, o processo em causa incorporou alguns princípios gerais (racionalidade, economicidade, flexibilidade e funcionalidade), tendo em vista a obtenção de ganhos de eficácia, de eficiência e o alinhamento com as boas práticas internacionais.


Um dos marcos do referido Regulamento Orgânico é a institucionalização de Equipas Funcionais intra ou inter unidades de estrutura que assumirão determinadas responsabilidades, particularmente, as que pela sua natureza e relevância necessitam de um acompanhamento próximo, ou iniciativas com configuração de projeto em termos de lógica de funcionamento. Com esta medida, pretende-se, por um lado, imprimir maior flexibilização da estrutura, melhor aproveitamento dos recursos humanos e, por outro, evitar a proliferação de microunidades de estrutura.

​​​
A amplitude de comando foi também objeto de preocupação e abordagem na conceção da nova estrutura orgânica. Com efeito, tendo em vista a melhoria do processo de supervisão dos colaboradores, o Banco de Cabo Verde fixará, em documento próprio, a meta para o seu span of control, que servirá de referência, e será perseguida nos próximos tempos.


Documentos