Banco de Cabo Verde
Bandeira de Cabo Verde

Medidas de Estímulo Monetário do Banco de Cabo Verde

O Conselho de Administração do Banco de Cabo Verde, reunido em sessão ordinária do dia 02 de junho de 2017, deliberou proceder às seguintes alterações nas taxas de referência do BCV e à implementação de um pacote de medidas de gestão monetária, com vista à melhoria do mecanismo de transmissão:

1) A redução da taxa diretora numa dimensão de 200 pontos base, de 3,5% para 1,5%, com comunicação concomitante ao mercado da orientação da política monetária do BCV e acompanhamento contínuo dos impactos;

 

2) A redução da taxa de facilidade permanente de absorção de liquidez, de 0,25% para 0,1%;

 

3) A diminuição das taxas da facilidade permanente de cedência de liquidez e de redesconto na mesma dimensão que a taxa diretora, visto estarem indexadas a estas, passando, respetivamente, de 6,5% para 4,5% e de 7,5% para 5,5%;

 

4) A absorção do excesso de liquidez bancária, pelo valor apurado na previsão de liquidez de curto e médio prazo, com vista à melhoria da transmissão monetária, não obstante o aumento controlado dos custos de política monetária;

 

5) A implementação de intervenções de Títulos de Regularização Monetária (TRM) por via de leilões de taxa fixa, com colocação à taxa diretora do Banco de Cabo Verde, com vista a melhorar a eficácia da política monetária;

 

6) A eliminação da isenção às Instituições Financeiras Bancárias de 1.000 milhões de CVE sobre a Base de Incidência do regime de Reservas Mínimas;

 

7) A adoção simultânea de uma política de comunicação mais ativa adequada e eficiente em relação à orientação da política monetária do banco central para um determinado período de tempo, com vista a melhorar o canal de expetativas, de taxas de juro e de crédito, e a alcançar os objetivos desejados para o sistema monetário e financeiro e a economia real; e

 

8) A eliminação do limite máximo fixado à banca para o recurso às facilidades permanentes de cedência de liquidez.

 

As medidas ora adotadas visam essencialmente estimular o financiamento de projetos de investimento viáveis e, consequentemente, a atividade económica.

 

Os impactos almejados destas medidas serão maiores se estas forem combinadas com a implementação eficaz de outras medidas de política económica de carácter estrutural, visando, por um lado, a redução dos riscos da economia e, por outro lado, o alargamento do seu potencial de crescimento.

 

As novas taxas entram em vigor a 06 de junho de 2017.


 

Abaixo a Nota de Imprensa referente à Conferência de Imprensa que teve lugar hoje, 5 de junho de 2017, e a Deliberação sobre as Medidas de Estímulo Monetário do Banco de Cabo Verde.