Banco de Cabo Verde
Bandeira de Cabo Verde

Estratégia da Política Monetária

O regime cambial de paridade fixa com o Euro adoptado por Cabo Verde em 1998 visa, essencialmente, garantir a convertibilidade cambial do escudo cabo-verdiano, criar condições para a estabilidade de preços, protegendo o valor da moeda nacional e servir como âncora nominal credível da política monetária.

Com a adopção do regime de peg fixo ao euro, Cabo Verde enquanto pequena economia aberta, aprofundou os laços económicos com Portugal e a Europa, de uma maneira geral e assegurou condições favoráveis para a implementação de reformas estruturais com vista ao ajustamento e transformação da economia nacional.


A utilização do regime cambial e respectiva âncora nominal revelam-se apropriadas para o desenvolvimento económico do país. Assim, a actividade do BCV tem sido no sentido de manter as condições de sustentabilidade do peg e do sistema financeiro a par de uma política orçamental equilibrada após um período de “arranque e sobressalto” que norteou a primeira fase do Acordo de Cooperação Cambial (1998-2000).


A adopção desse tipo regime cambial pressupõe uma perda teórica da soberania da política monetária, na medida em que toda a política económica e, particularmente, a monetária e orçamental, passam a estar subordinadas ao objectivo de manutenção da estabilidade cambial, isto é, à defesa da paridade da moeda.