Banco de Cabo Verde
Bandeira de Cabo Verde

Notas

O Banco de Cabo Verde detém o exclusivo da emissão e distribuição de notas e moedas na quantidade e qualidade necessárias para o bom funcionamento do sistema financeiro Cabo-Verdiano. E como autoridade emissora, o Banco assegura o cumprimento das regras para a reprodução de notas.


Existem atualmente cinco denominações (valores) de notas em circulação no país: 200, 500, 1000, 2000 e 5000 escudos. As notas de 500, 1000. 2000 e 5000 escudos são todas impressas em substrato de algodão, e a nota de 200 escudos, em substrato de polímero.

12-11-2018

Saiba como identificar notas genuínas do escudo cabo-verdiano.


12-11-2018

Manuseio de Notas


12-11-2018

Notas Retiradas de Circulação


12-11-2018

É da exclusiva competência do Banco Central a valorização e reembolso de notas e moedas emitidas em Cabo Verde.


15-09-2015
2015

A nota de 200 escudos entrou em circulação em 2015, e constitui uma homenagem ao médico e escritor cabo-verdiano Henrique Teixeira de Sousa (1919-2006) e à sua ilha natal, representada por uma perspetiva do vulcão do Fogo, onde foi notável a sua ação em prol das estruturas mínimas de saúde pública. Escritor cioso dos valores da cabo-verdianidade, Teixeira de Sousa publicou algumas obras de referência da literatura cabo-verdiana, de entre as quais se destacam Contra Mar e Vento, Ilhéu de Contenda e Capitão de Mar e Terra.


14-09-2015
2015

A nota de 500 escudos homenageia uma das figuras mais prestigiadas da moderna poesia cabo-verdiana, Jorge Barbosa, (1902-1971) e a sua ilha natal, Santiago. Um dos fundadores do movimento literário Claridade, que marca uma fase da contemporaneidade estética e linguística de Cabo Verde, baseada na emancipação cultural, social e política da sociedade cabo-verdiana, mais atenta às realidades do seu quotidiano. A poesia de Jorge Barbosa traduz os problemas do arquipélago e o drama social do homem cabo-verdiano, como a seca, a fome, a emigração, o isolamento e a insularidade.


13-09-2015
2015

A nota de 1000 escudos homenageia um dos mais emblemáticos compositores e músicos cabo-verdianos, Codé Di Dona (1940-2010), de seu nome verdadeiro Gregório Vaz, e enaltece o género musical Funaná. Considerada uma das figuras incontornáveis do Funaná, Codé Di Dona interpretou o sentir mais profundo da alma cabo-verdiana através das suas composições, como Fomi 47, Praia Maria, Pomba entre outras. Na qualidade de instrumentista, Codé di Dona, foi um exímio tocador de acordeão, um dos instrumentos paradigmáticos do Funaná, a par do ferrinho, instrumentos também representados na nota.


12-09-2015
2015

A nota de 2000 escudos pretende enaltecer um dos expoentes máximos da cultura musical cabo-verdiana, Cesária Évora (1941-2011), que tão bem soube interpretar a vivência e o sentimento do seu povo, dando a conhecer ao mundo as suas alegrias e angústias.


11-09-2015
2015

A nota de 5000 escudos homenageia um dos mais conceituados políticos cabo-verdianos Aristides Maria Pereira (1923-2011), figura que se distinguiu na luta de libertação das ilhas de Cabo Verde, da dominação colonial e o primeiro Presidente da República de Cabo Verde. A nota é uma homenagem à sua ilha natal, Boa Vista, através de uma perspetiva de uma paisagem da ilha, tendo em primeiro plano a imagem da chaminé de uma fábrica de olaria soterrada pelas areias vindas do deserto do Sahara.


1977

= Nota Retirada de Circulação =